Christian Boltanski

Christian Boltanski [103]
Les Écoliers (The Schoolchildren), 1993
Susana Lourenço Marques
Meninos de Escola (1993)
Pede ao fotógrafo que habitualmente tira as fotografias
de fim do ano lectivo da escola mais próxima do lugar
da exposição para fazer retratos individuais de todos
os alunos de uma turma. Estas fotografias, em número
variável, serão ampliadas para 25 × 20 cm e coladas
sobre um cartão.

Dispõe as fotografias na parede em várias filas, deixando
um intervalo de 7 cm entre cada uma. Nas costas de cada
fotografia, carimba o nome de quem fez a fotografia as-
sim como o meu próprio (a tabela da parede deve
mencionar o meu nome e o do fotógrafo).

No final da exposição, oferece as fotografias às crianças
ou aos seus pais.

Sobre o artista
Preocupado com a memória coletiva, a mortalidade e a passagem do tempo, Christian Boltanski cria pinturas, esculturas, filmes e instalações mistas que abordam estes temas numa variedade de estilos simbólicos e diretos. Boltanski faz frequentemente um uso metafórico de objetos encontrados (objets trouvés), como em No Man’s Land (2010), uma enorme pilha de casacos ajustados ao som de milhares de batimentos cardíacos, sugerindo o anonimato, a aleatoriedade e a inevitabilidade da morte. Em Monuments (1985), lâmpadas elétricas lançaram uma luz sobre imagens de vítimas infantis do holocausto. Descrevendo o seu interesse por histórias pessoais, Boltanski disse: “O que me impulsiona enquanto artista é achar que todos são únicos, no entanto, todos desaparecemos rapidamente. […] Odiamos ver os mortos, no entanto, amamo-los, apreciamo-los.”

Francês, n. 1944, Paris, França. Sediado em Malakoff, França.

Esta informação foi extraída de: https://www.artsy.net/artist/christian-boltansk

+ processo