Felix Gonzalez-Torres

Félix González-Torres [186]
“Untitled”, 1994
Luís Pinto Nunes e Panda de Haan
“Sem Título” (1994)
Reúne 90 kg de rebuçados locais e coloca-os num canto.

 Sobre o artista
Partindo das tradições do Minimalismo e da Arte Conceptual, Felix Gonzalez-Torres criou instalações e esculturas que funcionam como meditações pessoais e políticas sobre a vida privada e pública. Frequentemente referido como arte processual, o trabalho de Gonzalez-Torres centrou-se nas ideias de formação e decadência: combinou objetos domésticos e encontrados com o potencial de mutação ao longo do tempo, trabalhando também com materiais mais duradouros como puzzles, linhas de luz e fotografias. A interatividade com público foi uma parte integrante de algumas das suas peças mais emblemáticas, incluindo Untitled (Placebo) (1991), uma composição de rebuçados com um peso ideal de 1000-1200 libras que os espectadores podem de levar. Gonzalez-Torres enfatizou a universalidade temática das suas peças; já que foi profundamente influenciado pela epidemia do HIV/SIDA durante a sua carreira, tendo as próprias obras de arte têm ainda uma relevância política. O artista foi fortemente influenciado por artistas conceituais como Joseph Kosuth e Lawrence Weiner.

Americano, 1958-1996, Guiáimaro, Cuba, sediado em Nova Iorque.

Esta informação foi extraída de: https://www.artsy.net/artist/felix-gonzalez-torres